Renata Costa
17 de fevereiro de 2020
Categorias Empreendedorismo

Lá vem o futuro. Você sabe o que nos espera?

Você já parou para pensar que o que você está estudando hoje pode não servir de nada amanhã? Ou que a profissão que você batalhou a vida inteira para ter pode desaparecer de uma hora para outra? O futuro nos reserva surpresas além da imaginação.

Outro dia li um artigo que me deixou reflexiva. Primeiro, porque me dei conta de como o tempo voa, parece que os minutos e segundos já não duram mais o mesmo tempo. Segundo, porque percebi que talvez eu não esteja pronta para tudo que um futuro próximo promete.

Quando ingressei no mercado de trabalho, em 1990, a empresa que eu trabalhava não tinha computadores. O primeiro, aquele da telinha verde, foi aparecer alguns anos depois. Me lembro que para revelar fotos a gente utilizava aquelas câmaras escuras com a luz vermelha. Ninguém imaginava que um dia (bem próximo daquele) você poderia ver as fotos que tira na mesma hora. Isso era a mágica apenas de quem tinha uma Polaroid!

Essa lembrança das fotos veio com a informação que estava na matéria que eu li: “em 1998, a Kodak tinha 170 mil funcionários e vendia 85% do papel fotográfico utilizado no mundo. Em apenas 3 anos, o seu modelo de negócio foi extinto e a empresa desapareceu”. Como assim, em apenas 3 anos?! E as previsões são ainda mais instigantes: o mesmo acontecerá com muitos negócios e indústrias nos próximos 10 anos e a maioria das pessoas nem vai se aperceber disso.

Você já parou para pensar que o que você está estudando hoje pode não servir de nada amanhã? Ou que a profissão que você batalhou a vida inteira para ter pode desaparecer de uma hora para outra? Acho que as escolas vão ter que rapidamente rever seus conteúdos programáticos e colocar uma matéria nova chamada “jogo de cintura”. Isso mesmo, você, eu, todos nós vamos ter que ter muito disso para sobreviver!

Segundo a Singularity University Germany Summit, em abril deste ano, o futuro nos reserva surpresas além da imaginação. A taxa de inovação é cada vez mais acelerada e as futuras transformações serão muito mais rápidas que as ocorridas no passado. Novos softwares vão impactar a maioria dos negócios e nenhuma área de atividade estará a salvo das mudanças que virão.

Já temos empresas que vieram para revolucionar, como Netflix, Uber e Airbnb (só para citar algumas) mas, o que mais nos espera? É difícil imaginar o inimaginável. É difícil saber que você precisará de uma coisa que nem imagina que faça falta. Impressoras 3D, plataformas de aconselhamento jurídico ontime, diagnósticos de câncer online com maior precisão que a de enfermeiros humanos…. O que mais vem por aí?

Segundo especialistas, até 2027, 10% de tudo o que for produzido será impresso em 3D. Nos próximos 20 anos, 70% dos empregos atuais vão desaparecer. Em 2018, os primeiros carros autônomos estarão no mercado. Por volta de 2020, a indústria automobilística começará a ser desmobilizada porque as pessoas não necessitarão mais de carros próprios. Um aplicativo fará um veículo sem motorista buscá-lo onde você estiver para levá-lo ao seu destino. Você não precisará estacionar, pagará apenas pela distância percorrida e poderá fazer outras tarefas durante o deslocamento.

As cidades serão muito diferentes, com 90% menos carros, os estacionamentos serão transformados em parques. O mercado imobiliário também será afetado, pois, se as pessoas puderem trabalhar enquanto se deslocam, será possível viver em bairros mais distantes, melhores e mais baratos. O número de acidentes será reduzido de 1/100 mil km para 1/10 milhões de km, salvando um milhão de vidas por ano, em todo o mundo. Com o prêmio 100 vezes menor, o negócio de seguro de carro será varrido do mercado.

Os fabricantes que insistirem na produção convencional de automóveis irão à falência, enquanto as empresas de tecnologia (Tesla, Apple, Google) estarão construindo computadores sobre rodas. Os carros elétricos vão dominar o mercado na próxima década. A eletricidade vai se tornar incrivelmente barata e limpa. O preço da energia solar vai cair tanto que as empresas de carvão começarão a abandonar o mercado ao longo dos próximos 10 anos. No ano passado, o mundo já instalou mais energia solar do que à base de combustíveis fósseis. Com energia elétrica a baixo custo, a dessalinização tornará possível a obtenção de água abundante e barata.

No contexto deste futuro imaginário, os veículos serão movidos por eletricidade e a energia elétrica será produzida a partir de fontes não fósseis. A demanda por petróleo e gás natural cairá dramaticamente e será direcionada para fertilizantes, fármacos e produtos petroquímicos. Os países do Golfo serão os únicos fornecedores de petróleo no mercado mundial.

É difícil imaginar tanta mudança em apenas 20 anos, não é mesmo? Chegou a hora de pensar “fora da caixinha”. Como vou entender, aceitar e aproveitar tantas mudanças? O que posso fazer hoje para viver no mundo novo que está vindo por aí? O que tem espaço para existir que ainda não existe?

Pense, imagine, realize. Nada tem limites mais. Uma ideia, por mais maluca que possa ser, pode ser uma grande ideia num futuro próximo. Você já imaginou que algum dia fosse entrar numa loja e comprar um tênis feito na hora por uma impressora 3D? Alguém imaginou e aí está. Que tal tirar aquela ideia do papel e colocar a mão na massa? Aposto que o mundo vai ser bem mais divertido.

Tags: inovação; empreender; mudar o mundo; ideias; empreendedorismo; poder de empreender; novidade; imaginação; impressoras 3D; vale do silício; futuro; novas profissões

Renata Costa
17 de fevereiro de 2020
Categorias Empreendedorismo